Home » Notícias » Educação » MPRN move ação para que Estado adote programa de manutenção em escolas do Oeste potiguar

MPRN move ação para que Estado adote programa de manutenção em escolas do Oeste potiguar

Share on whatsapp
Compartilhar
Share on print
Imprimir
Share on twitter
Share on facebook
Share on email

Objetivo é proteger os integrantes da comunidade escolar de Mossoró, Serra do Mel e Governador Dix-Sept Rosado

Garantir a implantação de um plano de manutenção das escolas da rede estadual de ensino em Mossoró, Serra do Mel e Governador Dix-Sept Rosado, tendo em vista a proteção da integridade física dos alunos, professores, servidores e demais integrantes da comunidade escolar. Com esse objetivo o Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) está movendo uma ação civil pública em desfavor do Governo do Estado.

Essa questão é investigada pelo MPRN desde 2016, quando foi instaurado um inquérito civil, tendo em vista o desabamento registrado na Escola Estadual Manoel Justiniano de Melo. Após as investigações, o MPRN concluiu que os recursos repassados diretamente para as escolas são insuficientes para a manutenção regular das unidades e que algumas unidades apresentam situação tão precária que demandam investimentos elevados em obras, ensejando, assim, o ajuizamento de ações civis públicas específicas para regularização estrutural.

O MPRN também descobriu que o Estado não dispõe de um programa de manutenção rotineira e realiza, atualmente, obras de reforma sem se preocupar em definir a periodicidade dos serviços, os critérios de prioridade e uma previsão orçamentária suficiente para a demanda. Essa situação representa risco aos alunos, professores e servidores, uma vez que os problemas na estrutura física se agravam e com o tempo se tornam mais complexos.

Pedidos na ACP

Especificamente, o MPRN está solicitando ao Juízo da Comarca que condene o Estado a elaborar e implementar, no prazo de 18 meses, um programa de prevenção de danos na estrutura física das escolas estaduais situadas nos três Municípios que compõem a comarca.

O MPRN ainda quer que o Estado execute obras de manutenção e de conservação especificadas no relatório de inspeção produzido pelo Central de Apoio Técnico Especializado (Cate) do MPRN, no prazo máximo de três meses.

É importante, igualmente, que o Estado seja obrigado a fazer uma previsão orçamentária anual para a realização de obras que mantenham as estruturas físicas das escolas seguras.

Inspeções semestrais e prazo para relatório

O plano precisa contemplar desde a previsão de uma intervenção periódica e padronizada para a manutenção e a conservação da estrutura física das escolas e a adoção das medidas para que o setor de engenharia da Secretaria de Estado da Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer do RN possa inspecionar periodicamente as unidades escolares (no mínimo, duas por ano em cada escola)

Após tais inspeções, deve ser garantido que o prazo máximo de conclusão dos relatórios seja de 30 dias, com a especificação das obras necessárias para a manutenção e a conservação da estrutura física. E que nas inspeções sejam levados em consideração, no mínimo, os aspectos elencados nos laudos periciais produzidos pela Cate/MPRN.

Leia a ACP na íntegra, clicando aqui.

Share on whatsapp
Compartilhar
Share on print
Imprimir

Notícias Recentes

Ir para o topo
Skip to content