Home » Notícias » Portal » Portal - Notícias » MPRN recomenda regularização de Portal da Transparência em Luís Gomes

MPRN recomenda regularização de Portal da Transparência em Luís Gomes

Compartilhar
Imprimir

Município deverá pormenorizar dados relativos ao quadro de funcionário

 
O Município de Luís Gomes deve disponibilizar, no prazo de 30 dias, o quadro de funcionários no Portal da Transparência, com dados complementares de local de trabalho, função, carga horária, horários de trabalho, data da contratação e secretaria de lotação, observando o requisito constitucional de serem dados de interesse coletivo ou geral. A medida foi recomendada pelo Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) em publicação no Diário Oficial do Estado (DOE) desta terça-feira (28).

Para emitir a recomendação, a Promotoria de Justiça de Luís Gomes levou em consideração a representação do então vereador Luciano Pinheiro de Almeida noticiando que o Portal da Transparência do Município de Luís Gomes não possui os dados completos previstos em lei municipal. Essa lei prevê que o ente público deve disponibilizar no site ou blog oficial, relação dos servidores (temporários, efetivos e comissionados) com dados complementares de local de trabalho, função, carga horária, horários de trabalho, data da contratação e secretaria de lotação;

A não observância, pelo gestor público, dos princípios constitucionais da legalidade e da publicidade pode, eventualmente, configurar a prática de ato de improbidade administrativa que atenta contra os princípios da administração pública. Assim, o Município de Luís Gomes deverá disponibilizar as informações de forma simples, em linguagem acessível ao cidadão.

Os procedimentos previstos na Lei de Acesso à Informação (LAI) destinam-se a assegurar o direito fundamental de acesso à informação e devem ser executados em conformidade com os princípios básicos da administração pública e com outras diretrizes previstas.  

Após o término do prazo fixado, o Município deverá remeter à Promotoria de Justiça a resposta acerca das medidas adotadas para o cumprimento do que foi recomendado, acompanhada da documentação comprobatória respectiva. Em caso de não acatamento, o MPRN adotará as medidas legais necessárias a fim de assegurar a implementação das orientações, inclusive por meio do ajuizamento da ação civil pública competente e ação de improbidade administrativa, se cabível.

Leia a recomendação na íntegra, clicando aqui

Compartilhar
Imprimir

Notícias Recentes

Pular para o conteúdo