Home » Notícias » Portal » Portal - Notícias » MPRN obtém decisão judicial para que Idema remova imóveis irregulares no Parque das Dunas

MPRN obtém decisão judicial para que Idema remova imóveis irregulares no Parque das Dunas

Compartilhar
Imprimir
Além de prejudicar a área de preservação ambiental, famílias que moram nos imóveis correm riscos com a possibilidade de deslizamento do solo

 
 
 
O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) conseguiu uma decisão judicial antecipada determinando que o Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente do Rio Grande do Norte (Idema) execute demolição em dois imóveis construídos irregularmente no Parque das Dunas, em Natal.
 
O juízo da 3ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de Natal também ordenou que o Idema e a Prefeitura de Natal realoquem os moradores desses imóveis em local apropriado ou conceda o benefício de auxílio-moradia, até que seja solucionada a questão. A determinação judicial ainda incluiu a obrigação de o Idema recuperar a área de preservação ambiental prejudicada. 
 
A ação civil pública (ACP) movida pela 45ª Promotoria de Justiça de Natal argumentou que  desde o ano de 2010 constatou a situação de ocupação irregular da área localizada no Parque Estadual conhecido como "Parque das Dunas". O local é caracterizado como Unidade de Conservação de Proteção Integral. 
 
Nessa ocasião, o MPRN acionou os órgãos públicos competentes para sanarem a irregularidade. No entanto, após novas vistorias realizadas foi observado que ainda remanescem dois imóveis em situação ilegal. Para a unidade ministerial esse fato demonstrou a omissão do Idema quanto ao cumprimento integral de suas obrigações como fiscalizar a área e proceder com as medidas adequadas de proteção e recuperação do perímetro degradado. 
 
Além disso, há outro problema grave uma vez que a ocupação da área representa situação de
risco para os moradores dos imóveis, tendo em vista a possibilidade de deslizamento do solo. Isso pode ocorrer com o aumento da intensidade pluviométrica (chuvas). 
 
Assim, o MPRN demonstrou que o Idema também foi omisso no aspecto social, em face da indefinição quanto a concessão de auxílio-moradia e realocação das famílias que ocupam a área de risco.
 
 
 
Compartilhar
Imprimir

Notícias Recentes

Pular para o conteúdo