Home » Notícias » Portal » Portal - Notícias » MPRN firma acordo com Prefeitura de Pedro Velho para implantação de serviço de acolhimento familiar

MPRN firma acordo com Prefeitura de Pedro Velho para implantação de serviço de acolhimento familiar

Compartilhar
Imprimir
Termo de Ajustamento de Conduta prevê que os serviços sejam implantados em até seis meses
 

 
O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), por meio da Promotoria de Justiça de Pedro Velho, firmou Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com a Prefeitura da cidade para que seja implantado o Serviço de Acolhimento Familiar. O documento foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) desta terça-feira (21).
 
Com a assinatura do acordo, a Prefeitura se compromete a encaminhar à Câmara de Vereadores o Projeto de Lei versando sobre a implantação da Política de Acolhimento, no prazo de 60 dias. Outro compromisso assumido é incluir na lei orçamentária municipal do exercício de 2019 dotação específica para o custeio da criação, manutenção e funcionamento do serviço.
 
Com a adoção dessas medidas, a Prefeitura de Pedro Velho terá o prazo de seis meses para implantar o Serviço de Família Acolhedora, contados da aprovação da lei municipal. Após a publicação do dispositivo legal, o poder público municipal tem o prazo de 30 dias para designar a equipe de referência do serviço, que tenha composição mínima de 01 coordenador, 01 psicólogo e 01 assistente social, além de espaço físico para funcionamento.
 
Em caso de descumprimento do TAC, há previsão de multa diária de um salário mínimo, a ser revertida ao Fundo Municipal da Infância e Juventude (FIA) de Pedro Velho.
 
Sobre o Serviço de Acolhimento
 
O Serviço de Acolhimento em Família Acolhedora é voltado para crianças e adolescentes afastados da família por medida de proteção em residências de famílias acolhedoras previamente cadastradas. Neste serviço, famílias recebem essas crianças e adolescentes em suas casas e cuidam delas enquanto não há o retorno para suas famílias de origem.
 
Esta modalidade de acolhimento é particularmente adequada àquelas crianças e adolescentes cuja avaliação da equipe técnica indique possibilidade de retorno à família de origem, nuclear ou extensa, ou, na sua impossibilidade, o encaminhamento para adoção.
 
Confira aqui a íntegra do acordo.
Compartilhar
Imprimir

Notícias Recentes

Pular para o conteúdo