Home » Notícias » Portal » Portal - Notícias » MPRN debate efeitos da seca nas zonas urbanas

MPRN debate efeitos da seca nas zonas urbanas

Compartilhar
Imprimir

Reunião foi conduzida pelo Caop Meio Ambiente em parceria com o Caop Cidadania


O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), na manhã desta quarta-feira (20), por meio do Centro de Apoio Operacional ao Meio Ambiente (Caop-Meio Ambiente) em parceria com o Caop-Cidadania, promoveu reunião sobre medidas emergenciais de combate aos efeitos da seca nas zonas urbanas das cidades mais atingidas pela escassez hídrica no Estado.

O tema foi debatido em reunião, ocorrida na sede da Procuradoria-Geral de Justiça, com representantes da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh), da Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern), do Instituto de Gestão das Águas do Estado do Rio Grande do Norte (Igarn), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e da Prefeitura Municipal de Currais Novos.

A ação faz parte do projeto Convivendo com a Seca, conduzido pelos dois Caops, que trata a questão de segurança hídrica no RN. Na ocasião, foram levantadas algumas possibilidades para minimizar o problema de falta de água não só para as áreas mais críticas como o Seridó (caso de Currais Novos e Acari), mas para todo Estado. Perfuração e instalação de poços, chafarizes, restrição do uso da água para irrigação, intervenção do aluvião do Rio Acauã (açude Gargalheiras), ampliação da captação na barragem Armando Ribeiro Gonçalves e abastecimento de carros-pipa a partir de Florânia foram alguns dos pontos discutidos.

Ao final da reunião, a Caern se comprometeu a apresentar, em 15 dias, estudo sobre viabilidade de aumento da vazão captada na barragem Armando Ribeiro Gonçalves pelo sistema do adutor Serra de Santana para destinar o volume extra de água para potencializar o abastecimento de Currais Novos e Acari.

A Companhia também se comprometeu a, no mesmo prazo, apresentar resposta quanto às atribuições da concessionária no que se refere à busca de soluções alternativas de caráter coletivo para suprir a demanda local da população urbana.

Ainda dentro do período de 15 dias, a Semarh, por sua vez, deverá apresentar cópia do contrato firmado entre o Governo do Estado e a construtora A Gaspar, com informações expressas sobre se as obras do sistema adutor de Parelhas/Carnaúba dos Dantas foram retomadas e qual a previsão de término.

Já o Igarn foi incumbido de elaborar e finalizar, em 30 dias, um relatório sobre os reservatórios que são monitorados pelo órgão, mas utilizados para o abastecimento de carros pipas particulares. Outra deliberação é que o MPRN agendará uma reunião para discutir a regulação tarifária da água com a Agência Reguladora de Serviços Públicos do Rio Grande do Norte (Arsep), com a Caern e com o Igarn.

Além das representantes do Ministério Público, estiveram na reunião o prefeito de Currais Novos, José Vilton da Cunha, o titular e a adjunta da Semarh, José Mairton Figueiredo de França e Ieda Maria Melo Cortez, o professor da UFRN, João Abner, o diretor-presidente do Igarn, Josivan Cardoso Moreno e o presidente da Caern, Marcelo Toscano juntamente com sua equipe.

Compartilhar
Imprimir

Notícias Recentes

Pular para o conteúdo