Home » Notícias » Portal » Portal - Notícias » Audiência extrajudicial busca soluções para desabastecimento de água em Pau dos Ferros

Audiência extrajudicial busca soluções para desabastecimento de água em Pau dos Ferros

Compartilhar
Imprimir
MPRN firmou acordo para que Governo do Estado se comprometa a buscar recursos federais para que seja construída uma adutora expressa


O desabastecimento de água de Pau dos Ferros foi assunto de uma audiência extrajudicial realizada pelo Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) nesta segunda-feira (30), com as partes envolvidas na questão. Para solucionar o problema, foi acordado que o Estado buscará recursos federais para que seja construída uma adutora expressa. 
 
No prazo de 15 dias, a Companhia de Água e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) deve apresentar um projeto atualizado da adutora expressa à Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh); em seguida, de posse do projeto, a Semarh terá o mesmo prazo para pleitear junto ao Governo Federal nova solicitação de recurso para construção da adutora. 
 
Em paralelo, a Promotoria de Justiça de Pau dos Ferros vai articular com o Ministério Público Federal sobre a necessidade da intervenção da União na ação, visto que o açude é operado pelo Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs) e, em breve, será reformado devido à transposição do eixo norte do rio São Francisco. 
 
A audiência foi conduzida pela Promotoria de Justiça de Pau dos Ferros e os Centros de Apoios Operacionais da Cidadania e Meio Ambiente/MPRN e, além da Caern e da Semarh, contou com a participação de representantes da Procuradoria-Geral do Estado, da Prefeitura de Pau dos Ferros e do Instituto de Gestão das Águas do Estado do Rio Grande do Norte (Igarn). 
 
Ação judicial 
O problema de abastecimento de Pau dos Ferros é alvo de ação civil pública movida pelo MPRN desde 2014, quando a Promotoria de Justiça recebeu reclamações a respeito da qualidade da água fornecida ao município pela Caern. 
 
Agora, a ação entrou na fase final e iria para julgamento. Porém, o MPRN revolveu pedir uma audiência de conciliação com as partes para chegar a uma solução sem que fosse imposta uma determinação judicial. 
 
Na ação, o MPRN fez basicamente três pedidos que contemplavam as obrigações de execução, conclusão e funcionamento de obras que garantam continuidade, pela rede canalizada, do abastecimento doméstico de água potável à população; a eliminação do mau cheiro e da cor atualmente existentes na água fornecida; e a realização de planejamento de abastecimento temporário de carro-pipa em caso de colapso no sistema de abastecimento e do racionamento da água disponível no açude de Pau dos Ferros.
Compartilhar
Imprimir

Notícias Recentes

Pular para o conteúdo