Home » Notícias » Portal » Portal - Notícias » Apodi: MP ajusta recadastramento de famílias do Minha Casa Minha Vida

Apodi: MP ajusta recadastramento de famílias do Minha Casa Minha Vida

Compartilhar
Imprimir

Município irá analisar critérios utilizados na entrega de moradias para verificar se houve compatibilidade dos beneficiários com as exigências do programa

O Ministério Público do Rio Grande do Norte firmou Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Município para que seja feito o recadastramento das famílias que esperam entrar no programa “Minha Casa Minha Vida” – financiado pelo Governo Federal.

Recentemente, 50 famílias de Apodi foram beneficiadas com a entrega de unidades habitacionais no Bairro Garilândia. No entanto, denúncias feitas ao Ministério Público Estadual apontaram que a Prefeitura não teria observado os critérios de prioridade do programa federal na seleção destas famílias.

O assunto já é alvo do Inquérito Civil nº 06.2012.00006465-6 instaurado na 1ª Promotoria de Justiça de Apodi. Consta nos autos a informação de que há uma grande quantidade de pedidos de inclusão de famílias no programa habitacional pendentes de análise na Secretaria Municipal de Assistência Social.
   
O poder Executivo se comprometeu a providenciar as medidas necessárias para uma análise nos critérios utilizados nas doações destas casas. O objetivo é averiguar se houve compatibilidade dos beneficiários com os critérios do programa.
   
Pelo TAC ficou firmado que deverão ser comunicados à 1ª Promotoria de Justiça da Comarca de Apodi, no prazo de 30 dias, os eventuais casos de irregularidades encontrados na execução do “Minha Casa Minha Vida” no município. Caso o prefeito não cumpra as cláusulas assinadas no TAC firmado com o Ministério Público, deverá pagar multa de R$ 100 por cada dia de descumprimento.

Foi fixado também o prazo de 30 dias para a elaboração de um relatório de planejamento das providências necessárias para esse novo cadastro.

Público prioritário no “Minha Casa Minha Vida”
   
O programa “Minha Casa Minha Vida” foi criado para incentivar a obtenção de casas por famílias de baixa renda e tem atuação conjunta com os municípios. A seleção das famílias em Apodi deverá seguir o que é estabelecido nos itens 4 e 5 da Portaria nº 610/2011 do Ministério das Cidades.
   
De acordo com o item 4, famílias residentes em áreas de risco e insalubres ou que tenham sido desabrigadas, têm preferência na seleção. Famílias das quais façam parte pessoas com deficiência ou com mulheres responsáveis pela unidade familiar, também têm prioridade. O item 5 diz respeito à reserva de casas para os idosos, de acordo com o artigo 38 da lei nº10.741/2003.
   
As pessoas beneficiadas pelo programa “Minha Casa Minha Vida”, que moram em municípios com menos de 50 mil habitantes, não podem ter renda superior a R$ 1,6 mil nem ser proprietários de imóveis, seja na área urbana ou rural. Também é proibida a seleção de pessoas que já participam de outros programas oferecidos pelo Governo Federal.
   
A condução do programa federal é realizada de forma compartilhada com os municípios. Assim, compete às prefeituras executar a seleção de beneficiários, observando os critérios de elegibilidade nacionais, podendo ainda ser instituído critérios adicionais pelo próprio Ente Municipal.

Compartilhar
Imprimir

Notícias Recentes

Pular para o conteúdo