Home » Notícias » Portal » Portal - Notícias » MP pede na Justiça anulação de parceria do Estado com Associação Marca

MP pede na Justiça anulação de parceria do Estado com Associação Marca

Compartilhar
Imprimir

Ação Civil Pública pede entre outras coisas anulação do termo de parceria do Estado com entidade que faz gestão do Hospital da Mulher em Mossoró

O Ministério Público Estadual, por intermédio da 1ª Promotoria de Justiça de Mossoró, ajuizou Ação Civil Pública contra o Estado e a Associação Marca para Promoção de Serviços, pessoa jurídica de direito privado que administra o Hospital da Mulher e se qualifica como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) por irregularidades relativas à contratação firmada entre o Estado e referida Associação.

Na Ação que tramita na Vara da Fazenda Pública de Mossoró e tem por número 0008561-37.2012.8.20.0106 o representante do MP pede, entre outras coisas, a anulação do termo de parceria para que a Associação Marca faça a gestão do Hospital da Mulher; que o Estado se abstenha de renovar o termo de parceria firmado em caráter emergencial; e que se abstenha de firmar termos de parceria semelhantes com entidades privadas sem fins lucrativos antes que seja normatizada, em âmbito estadual, a qualificação de tais entidades como organizações da sociedade civil de interesse público, bem como observar as normas de licitação previstas em lei para seleção da entidade parceira.

Na ação, o MP pede também que a Justiça condene o Estado a convocar e nomear imediatamente em quantidade suficiente para completar as escalas do Hospital da Mulher, os candidatos aprovados no último concurso público pela Secretaria Estadual de Saúde Pública. E que promova o treinamento dos servidores nomeados a fim de que possam substituir o pessoal irregularmente contratado pela Associação Marca para prestar serviços no Hospital da Mulher em Mossoró, a fim de garantir a continuidade do serviço público.

Entre os pedidos que constam na Ação Civil Pública, representante do MP quer também que a Justiça condene o Estado a reassumir a prestação do serviço público de saúde à população no Hospital da Mulher, cessando ao final de prazo sugerido de 80 dias os repasses dos recursos financeiros a Associação Marca.

Confira íntegra da ação que tramita na Vara da Fazenda Pública da Comarca de Mossoró.

Compartilhar
Imprimir

Notícias Recentes

Pular para o conteúdo