Home » Notícias » Portal » Portal - Notícias » Desabastecimento no Juvino Barreto só deve ser resolvido em 2011

Desabastecimento no Juvino Barreto só deve ser resolvido em 2011

Compartilhar
Imprimir

Até lá os idosos vão permanecer sem comida e material de higiene por causa de prazo aberto pelo Justiça

Os idosos do Instituto Juvino Barreto estão ameaçados de passar o Natal e Reveillon sem ver resolvido o problema do desabastecido no abrigo. Entre os itens em falta estão gêneros alimentícios e materiais de higiene pessoal e como fraldas geriátricas. Em entrevista recente na imprensa o administrador do abrigo, Keginaldo Jacob de Medeiros, afirmou que “o estoque está significativamente diminuindo”.

A situação corre o risco de se estender até o próximo ano em virtude de ter sido dado um prazo de 72h para o Estado se pronunciar antes do Juiz apreciar os pedidos do Ministério Público em Ação Civil Pública ajuizada pela Promotora de Justiça de Defesa do Idosos Iadya Gama Maio. Segundo a Promotora de Justiça como a decisão da Justiça abrindo prazo de 72h só foi proferida na última quarta-feira, 15, no final da tarde, na prática processo terá que parar esse fim de ano, uma vez que as 72h terminam já durante o recesso natalino do Poder Judiciário, que vai durar até 6 de janeiro de 2011.

“É lamentável; pois os idosos ficarão desamparados até lá. Esse é um caso que merece uma resolução imediata, uma vez que a população idosa, por sua natureza, requer atenção especial, tendo em vista que na maioria dos casos eles têm a saúde bastante debilitada. E nem sempre dá para esperar os prazos processuais”, comentou Iadya Gama.

A Promotora de Justiça ingressou no começo desse mês com uma Ação Civil Pública para garantir  o repasse de R$ 100 mil por parte do Governo do Estado para resolver o problema do desabastecido do Juvino Barreto. Esses recursos seriam provenientes do convênio com o Estado que venceu desde julho e que não foi renovado na data prevista.

A Promotora de Justiça pede a solidariedade da população para continuarem ajudando os idosos, pelo menos até essa situação se normalizar. “É importante nesse momento lembrar que os produtos que os idosos mais precisam são gêneros como carne, frango, peixe etc.”, esclarece Iadya Gama.

Compartilhar
Imprimir

Notícias Recentes

Pular para o conteúdo