Home » Notícias » Portal » Portal - Notícias » Mossoró: orçamento de 2011 deve prever reforma em escola estadual

Mossoró: orçamento de 2011 deve prever reforma em escola estadual

Compartilhar
Imprimir

Promotor de Justiça de Mossoró expediu recomendação de acordo com laudo pericial apontando inúmeras deficiências na estrutura da escola estadual

A Promotoria de Educação de Mossoró quer que o Governo do Estado inclua na Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2011 verba para reforma da Escola Estadual Francisco Antônio de Medeiros.  O Promotor de Justiça Hercy Ponte de Alencar fez a recomendação da reforma com base em perícia técnica que apontou sérios problemas no prédio da escola.

O laudo, feito por profissionais da UFERSA a pedido do MP, aponta um conjunto de irregularidades que foram listadas na recomendação do Promotor de Justiça:

1) piso cerâmico com avançado desgaste por abrasão e mudança de tonalidades generalizadas;
2) piso cimentado com avançado desgaste por abrasão e mudança de tonalidades generalizadas, com esfarelamento dos agregados de composição da argamassa e buracos em alumas regiões;
3) paredes externas, de maneira generalizada, com manchas de umidade, infiltrações por capilaridade, bolôs e escamação da pintura;
4) telhados com goteiras (falta, quebra ou afastamento das telhas) que causam infiltrações nas lajes e presenças de manchas escuras e bolôs, paredes com marcas de escorrimento e salas com marcas de goteiras;
5) esquadrias de madeira(portas e janelas) em estado precário de conservação e manutenção, notadamente o pior quadro de patologias encontradas na escola;
6) portões de ferro externos do muro da fachada principal apresentam avançado estado de oxidação, bem como o portão de ferro do muro dos fundos, que dá acesso ao campo de futebol, apresenta rasgo imenso na chapa e avançado estado de oxidação;
7) pintura geral comprometida;
8) falta de atendimento aos quesitos de acessibilidade(NBR 9050); 9) campo de futebol abandonado, tomado por vegetação de tamanhos e tipos diversos, servindo  para depósito de lixos e principalmente restos de móveis.

Com a publicação no Diário Oficial do Estado, o governador tem 45 dias para encaminhar  à Promotoria de Justiça de Mossoró, informações específicas sobre o cumprimento, ou não, da recomendação ministerial, devendo ser anexada cópia da perícia técnica ao expediente. José Hercy alerta que “o não cumprimento da medida recomendada importará na adoção de medidas judiciais e extrajudiciais cabíveis”.

 

Compartilhar
Imprimir

Notícias Recentes

Pular para o conteúdo