Home » Notícias » Portal » Portal - Notícias » São Gonçalo terá que rever aplicação do Fundeb

São Gonçalo terá que rever aplicação do Fundeb

Compartilhar
Imprimir

Profissionais que não estão em sala de aula recebem gratificações do fundo, contrariando o que determina a lei

A  Prefeitura de São Gonçalo não poderá utilizar recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, FUNDEB, para remuneração de profissionais que não estejam em efetivo exercício do magistério. De acordo com a Recomendação da Promotora de Justiça, Lucy Figueira Peixoto Mariano da Silva, o prefeito do município,  Jaime Calado Pereira dos Santos, e o secretário municipal de Educação, Abel Soares Ferreira, terão o prazo de 15 dias para cumprir várias medidas para ajustamento do uso dos recursos provenientes do Fundo, sob o risco de sofrerem medidas judiciais, cíveis e criminais em caso de não adequação.
Segundo a publicação, os recursos do FUNDEB não poderão ser utilizados na remuneração de servidores que prestarem auxílio técnico-administrativo nas escolas ou na administração da educação do município ou por aqueles que estiverem em desvio de função.
Além disso, a promotoria recomenda a abertura de processo de licitação para contratação de mão de obra terceirizada ou abertura de concurso público para pessoal de apoio nas escolas. A prefeitura deverá ainda devolver aos cofres do FUNDEB os valores utilizados na remuneração de funcionários que não estavam em efetivo exercício do magistério da educação básica em 2009 e 2010.
O FUNDEB atende toda a educação básica, da creche ao ensino médio, com o objetivo principal de promover a redistribuição dos recursos vinculados à educação. A destinação dos investimentos é feita de acordo com o número de alunos da educação básica, com base em dados do censo escolar do ano anterior.

Compartilhar
Imprimir

Notícias Recentes

Pular para o conteúdo