MPRN

125 anos na defesa dos direitos
da sociedade potiguar

O Prêmio de Jornalismo do MPRN foi criado em 2011 para difundir um melhor entendimento, pela sociedade e pelo poder público, sobre a importância e função social do MPRN, visto que e pesquisa de imagem realizada pelo Conselho Nacional do Ministério Público – CNMP em 2012, somente um terço da população brasileira conhece e compreende a função do MP na sociedade e no sistema de Justiça do País.

Portanto, o Prêmio tem o objetivo de estimular, divulgar e prestigiar matérias jornalísticas veiculadas na imprensa (principalmente) local, que apresentem o trabalho do MPRN na defesa dos interesses da sociedade e como agente de transformação social, bem como sua contribuição em suas várias áreas de atuação.

Em 2017, ano comemorativo que marca os 125 anos de criação do Ministério Público do RN, o tema da quinta edição do prêmio será “MPRN 125 anos: Na defesa dos direitos da sociedade potiguar”.

O lançamento do projeto aconteceu no Dia Nacional da Imprensa (1º de junho), e a premiação acontece na semana comemorativa do Dia Nacional do Ministério Público (14 de dezembro).

Resumo informativo do Prêmio

São válidas as matérias Publicadas entre 1º.11.2016 e 1º.11.2017

Categorias

Jornalismo Impresso

Matéria, reportagem ou entrevista inscrita, publicada em jornais e revistas sediados no Estado do Rio Grande do Norte, de periodicidade igual ou inferior a mensal;

Não serão aceitas séries de reportagens.

Webjornalismo

Matéria, reportagem ou entrevista inscrita, publicada na web, em portal de notícias do Estado do Rio Grande do Norte, de atualização diária. Para o caso de reportagens publicadas na web em formato de áudio ou de vídeo, a duração deve ser igual ou inferior a 10 minutos;

Não serão aceitas séries de reportagens;

As matérias podem ser escritas, sonoras ou em vídeo, desde que produzidas exclusivamente para o ambiente web;

Não serão aceitas matérias publicadas em blogs ou sites pessoais, mesmo que tenham caráter jornalístico.

Radiojornalismo

Matéria, reportagem ou entrevista inscrita, veiculada em emissoras de rádio sediadas no Estado do Rio Grande do Norte, com duração igual ou menor que 10 minutos;

Não serão aceitas séries de reportagens.

Telejornalismo

Matéria, reportagem ou entrevista inscrita, exibida em emissoras de televisão sediadas no Estado do Rio Grande do Norte, com duração igual ou menor que 10 minutos;

Não serão aceitas séries de reportagens;

Não será aceita a inscrição de documentário.

Fotojornalismo

Fotografias publicadas em matérias, reportagens ou entrevistas veiculadas em jornal impresso, revistas ou portal de notícias sediados no Estado do Rio Grande do Norte.



PREMIADOS




O MPRN, graças a uma parceria com a Ampern, premiou o primeiro lugar de cada categoria com a quantida de R$ 3.500; para o segundo lugar de cada categoria, R$ 2.500 e para o terceiro lugar, o valor de R$ 1.500 em cada categoria.

DESTAQUE ACADÊMICO

1º lugar – "MP trabalha para garantir sobrenome de pais a crianças", de Tânia de Maria Thiago Diniz Ribeiro e coatoria de Maria do Perpétuo Socorro Souza de Lima Aragão, Thalles Souza Florêncio, José Carlos Borges Neto e Lucas Trindade Santiago Chaves (Novo Jornal);

2º lugar – "Violência que marca: tatuadas pela resiliência", de Josieverton Bruno Vital de Melo e coautoria de Ícaro Cesar Carvalho Batista de Medeiros (FM Universitária);

3º lugar – "Cercados pela omissão", de Ícaro Cesar Carvalho Batista de Medeiros e coautoria de Josieverton Bruno Vital de Melo e Gabriel Leme Penteado (FM Universitária);

FOTOJORNALISMO

1º lugar – "Combate à corrupção e defesa do patrimônio público", de Adriano Abreu dos Santos (Tribuna do Norte);

2º lugar – "Incêndio devasta o leningrado", de Magnus Teixeira do Nascimento (Tribuna do Norte);

RADIOJORNALISMO

1º lugar – "A lei na melhor idade", de Francisco Tárcio Araújo Pereira e coautoria de Elizângela Moura, Fabiano Júnior e Moisés Albuquerque (Rádio TCM);

2º lugar – "Violência contra a mulher e as mudanças na lei Maria da Penha", Malik Nagib Gonçalves de Souza (CBN);

3º lugar – "Justiça restaurativa para evitar escalada de violências de jovens do Rio Grande do Norte", de Sérgio Luiz da Costa, com coautoria de Ciro Pereira Revoredo Marques (96FM);

WEBJORNALISMO

1º lugar – "RN atinge marca histórica de 2 mil asassinados em menos de um ano", Anderson Simões Barbosa (G1RN);

2º lugar – "Esquema da Semsur se replica em outras prefeituras do RN", de Dinarte Pereira Assunção (Portal Noar);

3º lugar – "Mudança polêmica na Maria da Penha divide opiniões entre 'Guardiões da lei' no RN", de Júlio César Lima do Rocha (Portal Noar);

JORNALISMO IMPRESSO

1º lugar – "Projeto pode modificar Lei Maria da Penha após 11 anos", de Felipe Galdino da Costa (Novo Jornal);

2º lugar – "Desembargador afasta o deputado Ricardo Motta", de Francisco Ricardo Silva de Araújo (Tribuna do Norte);

3º lugar – "Ex-procuradora da Assembleia delatou o governador", de Mariana Ceci de França e Silva e coatoria de Francisco Ricardo Silva de Araújo (Tribuna do Norte);

TELEJORNALISMO

1º lugar – "Justiça restaurativa: diálogo como solução de conflitos", de Victor Ferreira da Lima (TV Ponta Negra);

2º lugar – "Crescimento da violência em Ceará-Mirim", de Marksuel de Oliveira Figueredo (InterTV Cabugi);

3º lugar – "APAC: uma alternativa para a crise do sistema prisional potiguar?", de Ítalo Roberto Amorim Souto (TV Assembleia).

©2017-2020 Ministério Público do RN | www.mprn.mp.br | Produzido pela Diretoria de Comunicação