Imprimir 

Operação “Queijo Suíço” foi deflagrada nesta quarta-feira (22) com apoio do Gaeco


Foi deflagrada nesta quarta-feira (22), pela Polícia Civil do Rio Grande do Norte e com apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do MPRN (Gaeco), a Operação “Queijo Suíço”, que investiga crimes de corrupção, facilitação de fugas, introdução de objetos ilícitos em presídios, lavagem de dinheiro, associação criminosa, falsidade ideológica, entre outros, praticados por servidores públicos do sistema penitenciário do Estado e terceiros.

Foram cumpridos 18 mandados de busca e apreensão e 21 mandados de condução coercitiva na grande Natal e interior. A operação foi conduzida pelo Núcleo Especial de Investigação Criminal (NEIC) e teve suporte da Secretaria da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed).

A investigação foi iniciada após a rebelião ocorrida no presídio de Alcaçuz, em janeiro de 2017. Na ocasião, presos de facções rivais entraram em confronto, e levantou-se a suspeita de facilitação para a entrada de armas e celulares no interior da unidade prisional. As investigações evidenciaram a participação de um advogado e de servidores do próprio sistema penitenciário, agindo em conjunto ou isoladamente em condutas criminosas e de suporte aos detentos. Foram identificadas ainda, movimentações bancárias vultosas e incompatíveis com os rendimentos declarados pelos investigados à Receita Federal.

Queijo Suíço – A denominação da operação é uma analogia às inúmeras fugas de presos ocorridas  no Presídio Estadual de Alcaçuz, por meio de diversos buracos cavados para construção de túneis para acesso ao exterior do presídio, o que deixava o solo com aparência desse tipo de queijo.

*Com informações da Assessoria de Comunicação da Degepol.