Imprimir 

Mandados de busca e apreensão foram cumpridos nesta quinta-feira (30). Adolescente era obrigada a se sujeitar às práticas sexuais com suspeito
 
 
O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), com o apoio da Polícia Militar, deflagrou na manhã desta quinta-feira (30) a operação O Segredo da Cabana, de combate ao abuso sexual infantojuvenil em Natal. A ação conjunta cumpriu dois mandados de busca e apreensão na capital potiguar.
 
A operação é da 65ª Promotoria de Justiça de Defesa da Criança e do Adolescente de Natal e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), sendo resultado de desdobramentos de investigações da Delegacia Especializada na Defesa da Criança e do Adolescente. Ficou apurado o suposto abuso sexual cometido ao longo dos últimos dois anos contra uma adolescente. Os indícios demonstram que a vítima era obrigada a se sujeitar às práticas sexuais com o suspeito, que também se aproveitava da fragilidade financeira do grupo familiar. 
 
Duas armas de fogo foram encontradas durante as buscas e duas pessoas foram autuadas em flagrante pela posse irregular, inclusive o suspeito.
 
A Justiça potiguar também acatou pedido de medidas cautelares do MPRN e determinou que o suspeito se abstenha de se aproximar da vítima, seus familiares ou testemunhas, não podendo manter com eles qualquer tipo de comunicação. A vítima e a família dela foram acompanhadas pelos serviços de proteção à criança e adolescente vítimas de violência sexual.
 
A operação contou com a participação de promotores de Justiça e servidores das Promotorias da Infância e Juventude e do Gaeco, com o apoio da Polícia Militar.
 
Disque Denúncia 127
O MPRN disponibiliza o Disque Denúncia 127 para denúncias de crimes em geral. O cidadão pode ligar gratuitamente para o número. A identidade da fonte será preservada.
 
Além do telefone, as denúncias também podem ser encaminhadas por Whatsapp para o número (84) 98863-4585 ou e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. . Os cidadãos podem encaminhar informações em geral, tais como aumento abusivo de preços, denunciar atos de corrupção e crimes de qualquer natureza. No Whatsapp, são aceitos textos, fotos, áudios e vídeos que possam comprovar as informações oferecidas.